Mundo cada vez mais chato: Fórmula 1 decide proibir as “grid girls” nas corridas

As grid girls fazem parte do automobilismo há décadas. Na Fórmula 1, essa é uma tradição que vem desde os anos 60. Agora lamentavelmente a Liberty Media, nova dona da categoria, decidiu proibir esse trabalho das mulheres nas etapas a partir do início de 2018.

Dessa forma, a beleza e o encanto feminino estão banidos da categoria. É uma intervenção contrária às práticas de livre iniciativa, considerando que as pessoas e empresas devem ter liberdade de celebrar seus contratos de trabalho em relação à prestação de atividades honestas. Assim como os espectadores possuem a liberdade de prestigiar, ou não, os esportes que quiserem.

Na prática, essa proibição tira o emprego e diversas oportunidades de carreiras das modelos envolvidas. Aliás, se muitos fãs verdadeiros do automobilismo já reclamavam do nível das corridas nos últimos anos, esse certamente é um novo ponto lamentável quando comparamos o momento presente com o passado glorioso da F1.

Grid Girls

Com uma visão diferente para o futuro da categoria, a Liberty Media afirmou que o costume “não é condizente com os valores da marca” e também com os conceitos atuais da sociedade. Em comunicado oficial, houve a declaração de que: “Embora a prática de empregar grid girls tenha sido um elemento básico de GPS de Fórmula 1 por décadas, nós sentimos que isso não estava de acordo com os valores da nossa marca e claramente está em desacordo com as normas da sociedade moderna. Nós não acreditamos que a prática é apropriada ou relevante para a Fórmula 1 e seus fãs, antigos e novos, em todo o mundo”.

A maior parte dos comentários em redes sociais mostram que os entusiastas não gostaram nem um pouco da decisão.

Evidentemente, as principais prejudicadas são as próprias “grid girls”, que perdem a oportunidade de emprego. Michele Westby, ex-modelo da categoria, comentou em suas redes sociais “Nós somos ‘brifadas’ sobre o uniforme que usaremos, perguntam se eles são confortáveis. Nós estamos mais vestidas do que adolescentes nos supermercados nos dias de hoje. Agora estou me aposentando disso, mas lamento que garotas perderam uma chance importante porque feministas acham que sabem o que é o melhor para todas; isso é realmente frustrante”.

Bernie Ecclestone, ex dirigente da F1 também deixou sua insatisfação registrada dizendo que as grid girls faziam parte do show. Nesse caso, ele está correto.

Mesmo com toda polêmica a FIA acatou a decisão da Liberty Media e diz que tende a disseminar o fim das grid girls em outras categorias. E você, o que achou da decisão que acaba com o trabalho das grid girls na F1? Abaixo seguem alguns vídeos ilustrativos e agora de recordação sobre as grid girls na F1 e outros discutindo a decisão. No primeiro, acompanhe a opinião do Youtuber Izzy Nobre.

PS: Lembre-se de se inscrever no canal do AutoVideos no Youtube, e também siga-nos no Instagram (@autovideos_oficial) para ficar por dentro das novidades.

Deixe seu comentário: