Supercarros avaliados em 20 milhões de dólares são protegidos do devastador Furacão Irma

Um dos maiores e mais perigosos furacões já registrados, o Irma devastou o Caribe e rumou em direção aos Estados Unidos com sua força oscilando entre as categorias 2 e 3 (sendo 1 a mais fraca e 5 a mais forte). Com 25 mortes confirmadas no Caribe e três nos EUA (até 10 de setembro), o Irma promete deixar um rastro de destruição sem precedentes.

Para ter uma ideia do quanto um evento deste tipo mexe com uma nação, só no estado norte-americano da Flórida mais de 6,5 milhões de pessoas foram evacuadas para regiões situadas fora da possível rota do furacão. Carros e objetos deixados nas ruas geralmente sofrem danos bastante sérios, mas como ficam os supercarros diante de uma catástrofe deste porte?

Carros avaliados em muitos milhões de dólares precisam ser devidamente armazenados em locais seguros, à prova de furacões e distantes o suficiente de regiões que podem sofrer alagamentos e/ou outros problemas relacionados à tempestade e seus ventos.

A armazenagem, no entanto, não tem nada demais, pois trata-se basicamente de colocar os veículos em um local forte o suficiente para aguentar a ventania, a chuva e os danos causados pelo furacão. Nos EUA, este tipo de construção já existe há bastante tempo, e uma garagem com essas características guarda dezenas de supercarros sempre que há algum alerta envolvendo fenômenos naturais.

O vídeo que você vai conferir hoje é exatamente sobre isso: uma garagem segura o suficiente para guardar supercarros avaliados em mais de 20 milhões de dólares. Lamborghini, Pagani, Ferrari, há muitos modelos exclusivos e também carros zero quilômetro da importadora local Prestige Imports, por exemplo. O Furacão Irma certamente destruirá muitos carros, mas não estes preciosos modelos. No segundo vídeo, acompanhe a cobertura ao vivo do Furacão nos Estados Unidos.

PS: Lembre-se de se inscrever no canal do AutoVideos no Youtube, e também siga-nos no Instagram (@autovideos_oficial) para ficar por dentro das novidades.

Deixe seu comentário: