Confira o precioso (e delicado) trabalho de restauração de uma Ferrari F40 muito exclusiva

Supercarros costumam ter produção limitada e um curto ciclo de vida. Quando se fala de versões de corrida construídas a partir destes supercarros, a coisa fica ainda mais exclusiva e diferenciada. Poucas unidades são fabricadas e adaptadas, principalmente quando não há uma equipe oficial da marca. A restauração que você vai ver hoje é justamente de um destes modelos raros: Ferrari F40 LM/GTE.

A Ferrari F40 LM (LM, de Le Mans) recebeu poucas modificações estéticas, como um splitter de fibra de carbono na dianteira, difusores na traseira, aerofólio ajustável, novas entradas de ar e a remoção dos faróis escamoteáveis, que deram lugar a um conjunto convencional. As modificações foram feitas pela empresa Michelotto (responsável pela construção da 288 GTO Evoluzione), em 1989. Tudo isso fica bem claro na restauração.

Por dentro, o carro também foi bem modificado, com o painel analógico sendo substituído por um digital (padrão nas corridas). A parte mecânica também bastante modificada. Percebe-se pelas imagens da restauração que o motor é o mesmo (V8 bi-turbo de 2.9 litros), mas com aumento de pressão nos turbos que elevaram a potência para até 720 cv.

A suspensão foi recalibrada e adaptada para as pistas, os freios foram substituídos por discos e pinças mais robustos (e maiores) e o chassi foi reforçado. Segundo informações oficiais da época, o carro era extremamente leve e rápido. Com apenas 1050kg, fazia de 0 a 100 km/h em 3,1 segundos e atingia velocidade máxima de 367 km/h.

Apesar do vasto trabalho da Ferrari e da Michelotto, a F40 LM não foi usada pela equipe da Ferrari em corridas. Os 19 exemplares da F40 convertidos para F40 LM entre os anos de 1989 e 1994 foram comprados por pilotos privados, sendo sua maioria pilotos da Le Mans. Além das 19 Ferrari F40 LM, outras 27 F40 de rua foram convertidas por particulares para uso em corridas, seguindo as especificações das F40 LM originais. O colecionador e historiador automotivo Michael Sheehan as chama de F40 LM/GTE.

As modificações visuais nas versões LM/GTE eram mais abrangentes, como aerofólios maiores, pára-choques diferenciados e mais alterações no interior. O modelo da restauração documentada no vídeo de hoje tem tempo de volta mais baixo em Hockenheim em relação à McLaren F1 GTR, segundo documentos e informações oficiais. Um monstro raro (um dos 27 exemplares existentes), como você pode perceber.

PS: Lembre-se de se inscrever no canal do AutoVideos no Youtube, e também siga-nos no Instagram (@autovideos_oficial) para ficar por dentro das novidades.

Deixe seu comentário: