Cultura e carros Rat Rod: Espartanos, invocados e com visual agressivo. Vai encarar?

“Nossa, mas esse carro parece detonado, é um projeto ainda não acabado, né? Sei lá, está enferrujado, tem umas soldas aparentes e a pintura está surrada”. Tal comentário é muito comum para quem anda em um Rat Rod, mas esse espanto também faz parte do estilo de vida da galera que curte estas máquinas. Por que ser como todo mundo, andar em carros padronizados e todos iguais? Pois é, boa pergunta…

A sensação que temos ao participar de eventos com veículos Rat Rod é que eles são construídos e criados para serem dirigidos, não para serem exibidos. A aparência de “projeto não finalizado” e as customizações bastante pessoais denotam o gosto individual de cada proprietário e o desejo de ter algo realmente único, mas que faz sentido para ele. Um Rat Rod não precisa ser considerado lindo por muita gente ou aparecer em revistas especializadas.

O movimento inicial dos carros Rat Rod surgiu por conta dos elevados preços das customizações e recriações dos chamados Hot Rod. Mais especificamente, a cultura Rat Rod surgiu da originalidade e engenhosidade de proprietários de carros e seu desejo de construir o próprio veículo, mas com as condições possíveis (não com dinheiro sobrando e usando os serviços de lojas especializadas e cada vez mais caras). Conheça mais desse estilo de vida com os vídeos produzidos por Webmotors e taiguaramotors:

Deixe seu comentário: